terça-feira, novembro 27

Download - Novas pregações

Mordomia cristã ::: Responsabilidade e temor - Anderson Silva

Provérbios de um discípulo ::: 94

Como Igreja temos que resgatar a essência de nossa missão... caso contrário, fica mais evidente nossa irrelevância para com a geração atual, a qual não consegue ser convencida por meio de palavras. Ou a Igreja é uma pessoa que se move compassivamente e de uma forma poderosa sobre a terra, revelando o amor do Pai por intermédio da vida do Filho, ou nossas estruturas aos poucos se tornam em museus e um lugar frequentado por nossos avós.

Está em matrimônio é não ter vida própria. 1+1=1, o divórcio só é uma opção onde existe caminhos distintos, onde existem dois que desejam ser satisfeitos sem a responsabilidade em ser a satisfação do outro.

A prosperidade de Deus é missionária...

A teologia da prosperidade diz que "não ter" é uma questão de fé. Enquanto isso investimos os recursos do Reino na compra de um carro importado para um "líder espiritual/pastor", de modo que irmãos passam fome e necessidade dentro de nossas comunidades de fé... também concordo que "não ter" é um problema de fé, não dos que estão privados, mas de quem tem a capacidade de alienar-se das necessidades básicas de quem chamamos de "irmãos".

A responsabilidade da "Mordomia Cristã" irá separar ovelhas de bodes. (Mateus 25.14-46). As ovelhas ouviram a voz do pastor, os discípulos revelaram o que o Mestre ensinou, os bodes tinham caracteristicas de ovelhas, aparência de discípulos, detinham a herança e o comissionamento, mas viveram para si mesmos.
2 Coríntios 5:20 / 2 Coríntios 5:15

Está em matrimônio é não ter vida própria. 1+1=1, assumir essa realidade é ser plenamente satisfeito em viver com o outro até que a morte nos separe. Experimentamos a felicidade ao entender que ela só é possível ao fazermos o outro feliz.

Anderson

A prosperidade de Deus é missionária ::: Anderson Silva

Se Deus tem um propósito de amor em reconstruir e fazer o homem viver por intermédio da vida revelada em Jesus, torna-se contraditório o "deus da teologia da prosperidade"... pois, sem dúvida todos os recursos concedidos por Deus tem por finalidade a mordomia, a responsabilidade em lidar com o que não é nosso. 

A prosperidade de Deus possui uma finalidade, não diz respeito ao nosso ego e futilidade, mas ao suprimento de nossas necessidades e a missão revelada em Cristo.

Se os recursos que temos na vida passageira não revela o Rei, o Reino, o Propósito, e a Vida que é eterna, será que compreendemos de fato o Evangelho?


Deus não firma nossa vida nas coisas temporais, mas usa o temporal para revelar o eterno. 
O material deve revelar o espiritual, o espiritual usa o material como ferramenta, mas não o têm como a totalidade. O material é um meio, o espiritual é o centro e o fim.

Deus não nos prospera pela própria prosperidade, não nos deixaria em um passeio enquanto o mundo morre ao nosso lado, e assistimos a tudo isso dos assentos confortáveis de nossos carros luxuosos dado pelo Deus que tem uma missão.

Se Deus está em missão, Ele não nos colocaria em férias sem fim...

Antes de pedirmos temos que ter a consciência que prestaremos contas, todo recurso concedido por Deus saiu do "Banco missionário do Reino de Deus". Tudo que somos e recebemos em Deus precisa está preso ao senso e responsabilidade da missão dos céus revelada na terra por intermédio da casa, da família, dos filhos de Deus.

Por isso, a criação aguarda ansiosamente a manifestação dos filhos de Deus. Romanos 8:19
 
Anderson

Seja um mantenedor de nossa missão

Se você deseja ofertar ou ser um mantenedor de nossa missão
Porque a ministração deste serviço não só supre as necessidades dos santos, mas também transborda em muitas ações de graças a Deus; visto como, na prova desta ministração, eles glorificam a Deus pela submissão que confessais quanto ao evangelho de Cristo, e pela liberalidade da vossa contribuição para eles, e para todos. 2 Coríntios 9:12 

pastor.vivoporti@gmail.com

Banco do Brasil

keila Andrade Teixeira da Silva
Ag. 0826-5
Conta Corrente: 46.987-4

Caixa Econômica Federal
Keila Andrade Teixeira da Silva
Agência: 0008
Operação: 003
Conta corrente: 2372-6

CNPJ para transferência bancária : 14.265.916/0001-88



domingo, novembro 25

Provérbios de um discípulo ::: 93



Quando a Igreja não é a resposta, ela passa a ser o silêncio de Deus e o questionamento do mundo.

O cristão que não está em missão [...] não está em Cristo.

O cristão que não está em missão [...] não está em Cristo.
Reconhecendo que a missão não é a obra em si, mas a "Vida" que recebe em sua essência o encargo de revelar a Deus e reconstruir o homem, a missão não é ter "ido", é está "indo".

Santidade que não releva Deus é apenas religiosidade.

"Igreja" - uma vida, uma missão, uma responsabilidade [...]

Todo o trabalhador da "Seara" antes de tudo, precisa está sendo nutrido nas realidades em ser filho e noiva, todo discípulo de Cristo antes de fazer algo, precisa saber o quanto é amado. Pois, precisamos amar na medida que estamos sendo amados, revelar à outros o que está sendo revelado a nós, fazer por outros na mesma medida e qualidade do que está sendo feito por nós nesta intimidade.

O Evangelho não é uma certeza sobre nós, é certeza sobre uma vida, uma missão, uma responsabilidade. O Evangelho não nos põe em uma zona de conforto, nos dá o encargo de salvarmos o mundo por intermédio da Vida do Filho de Deus.

A certeza que não produz vida no outro não é verdade de Cristo, é apenas sofisma disfarçado de conhecimento bíblico. Neste momento uma visão ministerial ganha mais importância que a vida humana, e a própria Palavra de Deus.

O Evangelho é imersão. Está em Cristo é mergulhar na condição humana...

A fé que perdeu o amor é resultado do coração que perdeu a beleza, o extase, a contemplação ao Deus que se fez Homem. É a noiva que não espera mais por seu Noivo, deixamos de dançar ao compasso do "Segue-me".

Quando não amamos, a vida do outro torna-se apenas uma informação, um dado a ser avaliado de acordo com as nossas certezas.

O Senhor transformará nossa violência em temor e zelo por Sua glória, o Pai fará de nossas feridas e dores (...) a autoridade para curar as nações.

"A vida não é feita de acidentes, é construída por escolhas".

A prosperidade de Deus encontra-se em missão (Jo 3.16-17), a teologia da prosperiade está em férias constante.

Teologia da prosperidade é uma violência, prosperidade de Deus é um processo que se dá em alegria nas pequenas coisas.

A Igreja não está em um membro do corpo, ela está no Corpo. 
Só posso ser a Igreja (parte), se reconheço que somos a Igreja (corpo).

O Corpo sobrevive sem uma parte (membro), ele possui capacidade de adaptação. O membro não consegue ser corpo, e com o passar do tempo desconfigura-se, pois apodrece.

Homem, empodere a opinião de sua esposa e usufruirás da verdadeira autoridade [...] que não é imposta, mas conquistada. Conceda a ela o direito de dizer-lhe que não és tudo que pensas ser, e seja humilde para reconhecer a necessidade de mudança e amadurecimento; só assim terás o usufruto da plenitude matrimonial.

O pior tipo de orfandade é concedida através do pai que está de corpo presente, apenas...

Não consigo viver sem mim mesmo, eis o motivo pelo qual o casamento pela ótica de Deus não pode chegar ao divórcio [...], ou nunca experimentei a realidade de me tornar uma só pessoa com minha esposa.

O amor que não busca seus próprios interesses nunca se frustrará, ele não depende da colheita para ser amor...

O divórcio é a comprovação de que nunca existiu o amor por uma das partes, ou de ambas...

O peso do divórcio não é ele em si mesmo, mas o fato de não ter amado de tal forma ao ponto de “tornarem-se um” [...], pois não se pode divorciar de si mesmo. O divórcio mostra que nunca existiram os dois que se tornaram um, mostra apenas os dois que continuaram centrados em si mesmos, e por isso nunca construíram um lar, uma unidade que revela o amor análogo entre Jesus e a Igreja.

A força de uma família não está em uma casa, está em um lar.

A atitude do outro é a colheita da minha... se não estamos satisfeitos com as colheitas, que plantemos sementes diferentes.

Não é uma questão de Deus querer ou não [...] nosso entendimento e atitude pode não está "liberando a ação de Deus". O homem colhe o que planta...

Pelas escrituras creio que Deus não atende necessidades e vontades [...], Ele responde à fé,a obediência, aos princípios estabelecidos.

Não queira colher o que você não plantou, não plante o que você não deseja colher...

Se a Igreja não está na forma, qualquer maneira de realizar a Igreja é lícita, desde que Jesus Cristo seja o Senhor e o centro de tudo que está sendo feito. Pois, se a forma é apenas ideia humana, e resultante de feridas não tratadas [...], o formato torna-se um ídolo; é como colocar veneno na chupeta de uma criança.

A Igreja não está na forma, ela está em Cristo...
Amor, revelação, vida e obra.

A Igreja não está dentro das quatro paredes, muito menos fora delas; a forma é o menor dos problemas [...] precisamos reconhecer a identidade, se nos dois extremos existe o que foi revelado em Jesus.

Se não somos cooperadores em atuação espiritual, emocional e material na/da Igreja [...] como podemos esperar que ela seja o que julgamos que ela não é?
Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. 1 Coríntios 12:14

A Igreja não é composta por expectadores, é formada por discípulos dependentes e tementes ao Mestre Jesus.

Não podemos pedir que a Igreja seja e faça aquilo que nunca fizemos por ela e partir dela; a Igreja não possui vida própria.

Os que assistem a vida da Igreja são os que possuem as melhores opiniões de como ela deveria ser.

Como podemos requerer o pleno funcionamento da Igreja se não somos plenamente Igreja? A eficácia da Igreja da-se pela conexão integral dos membros.

A comunhão cristã não resume-se a mera presença do corpo, mas a entrega do coração. Por isso, muitos estão ao lado com o comportamento de quem está longe, muitos estão distantes mas vivem como se fossem um, e de fato são.

Quando não temos olhos para enxergar além de atitudes isoladas, nunca perceberemos que a vida é um constante processo... não teremos a capacidade de conhecermos de fato as pessoas, não nos permitiremos ser surpreendidos, não veremos beleza no fato de que antes de afundar nas águas alguns andaram sobre ela [...] não conseguiremos perceber que uma atitude extrema revela o coração de um apaixonado adorador, não ordenaremos o desertor três dias depois que nos nega, mesmo sabendo que ele continuará falho; mas que nunca desistirá do processo...
O covarde, o incrédulo, o impetuoso, o imaturo segundo os relatos históricos faz seu último pedido antes de sua morte em uma cruz: "Crucifiquem-me de cabeça para baixo pois, não sou digno de morrer como o meu Mestre".
Para Jesus Pedro não é uma piada, Pedro é o processo não fingido de uma fé que depois de amadurecida torna-se um castelo forte.

O auto governo é o colapso da Igreja...

Um corpo é interdependente; quando não existe mutualidade e cooperação não existe Igreja [...] apenas um "nome igreja" que de fato nunca conseguirá ser a Igreja definida em Jesus. Quando os membros de um corpo são meros dependentes, todo o corpo perde sua capacidade de funcionamento, não chega à plenitude. Neste caso surge o caos: os membros tornam-se autônomos, e cada parte por sua vez tenta ser o corpo inteiro... coisa impossível por sinal.

A prática cristã não são atitudes em si mesmas, antes de tudo precisa ser uma posição e um quebrantamento do coração que depende, arde, ama e teme ao Senhor.

A Igreja não é propriedade de homem [...] ela é o propósito e o corpo fundamentado e edificado a partir de Cristo. A Igreja não pertence à uma visão ou a um segmento teológico, a Igreja é o coração de Deus sendo revelado aos homens, todos eles.
Se a visão e o ministério dos homens não serve a todo propósito de Cristo (de e para um corpo), que busquemos outra definição para esse ministério, pois não é obra de Cristo.

A Igreja é algo bem maior que nossos muros...

Encontramos o poder de uma vida de adoração através do silêncio, quando todas as vozes se calam [...] nosso coração começa a salmodiar ao Senhor, reconhecendo sua presença, seu amor, sua vida em nós e seus grandiosos feitos.

Respeite sua idade... 
Não queira ser um jovem ancião, muito menos um velho garoto.
A maturidade não vem com o passar dos anos, vem da intencionalidade em se permitir aprender com todas as situações da vida e assim ter uma caminhada que confirma essa maturidade; no outro extremo temos a maturidade que se confunde com capacidade e eloquência. Os extremos não são capazes de ensinar à outros, nos extremos não nos compadecemos das pessoas, no equilíbrio entendemos que nada é acaso, tudo é processo.... Passamos a entender e amar o outro dentro do próprio processo que tivemos até o momento que nos habilitamos a cooperar na construção do destino de outros.

Maturidade não é ausência de erros, ser maduro é continuar sendo ensinável. Nossas certezas podem ser uma boa oportunidade para nos vermos errados.

Eu acredito em raízes, em identidade, em processos...
Tudo que é imediato me deixa em alerta.

Eu não acredito em espiritualidade instantânea, muito menos em maturidade eloquente; a espiritualidade que não é formada em momentos de crise é rasa e efêmera, a maturidade que não é fruto de uma vida é apenas maquiagem que esconde feridas.

Fé é dar crédito, reconhecer, consentir, concordar... 
Como podemos afirmar que temos fé em Deus ao mesmo tempo que desobedecemos a sua Palavra? Como podemos afirmar que acreditamos em uma pessoa enquanto desacreditamos a sua palavra?! Não existe fé em Deus onde não há uma construção de conformidade com o Seu caráter, vontade e Palavra.

A fé divorciada de obediência é incredulidade sofisticada, é desobediência disfaçada de amor [...] semelhante ao homem traidor que tenta convencer a esposa através de um buquê de flores, é a atitude que diz que está perto, enquanto o coração está distante sendo edificado em outros fundamentos.

"Bem aventurado" o homem que não crê e vive como se não crêsse, "Desventurado" o homem que diz crê e vive como se não acreditasse. Quem diz ter será cobrado como se tivesse...

Não chame pessoas à igreja, seja a Igreja que chama pessoas.

Existem ferramentas que nos ajudam a ter um relacionamento com Deus, quando não existe de fato um relacionamento, as ferramentas tornam-se um deus.

Não chame pessoas à igreja, seja a Igreja que atrai pessoas por meio da vida que revela Jesus [...] exale o aroma de Cristo, expresse a beleza dos adornos da Noiva.

É na diversidade que reconhecemos um corpo, na individualidade intencional dos membros encontramos apenas extremos.

Relevância não pertence à uma ação da Igreja, é uma ação de Deus por meio da Igreja, não é um auto-envio.

Ser cristão não pertence a definição de um nome, de uma crença, de uma religião, mas ao reconhecimento de uma "Vida".

A culpa é inimiga do Evangelho; a Graça de Deus é que produz arrependimento que nos leva à mudança. A culpa nos diz: vá embora, as boas novas do Evangelho nos dizem: Vinde a mim!

Anderson

Reflexões sobre casamento e divórcio ::: Anderson



Não existe a opção do divórcio para quem não ama a si mesmo...

O nível de união e intimidade que Deus nos propõe através do casamento, está acima de qualquer outro tipo de relacionamento. Nem com nossa mãe somos uma só carne, se discordas case-se com sua mãe.

Afirmamos que o amor é só de mãe porque não entramos em uma relacionamento para amarmos de uma forma única, fiel e sacrificial, entramos com reservas, entramos pensando no dia que sairemos desse barco quando nossos interesses não forem satisfeitos.

Se você não está pronto para amar seu cônjuge acima de todas as outras pessoas da sua vida, não é de se espantar nunca teres provado o que de fato significa um matrimônio e também deixa claro a razão de um divórcio.

Casamento não é para quem encontra a pessoa certa, mas para quem é a pessoa certa através da construção realizada em Cristo... Casamento não é uma questão de vontade ou necessidade, é assumir responsabilidades, é está em processo intencional de amadurecimento, é entender que a partir do matrimônio duas pessoas formam um só destino.

Só existe divórcio quando existe desobediência ao mandamento que levam dois a tornarem-se um através do amor que não se fundamenta nos próprios interesses.

O divórcio só é uma realidade onde existem dois indivíduos que habitam no mesmo lugar, mas que possuem corações divergidos. A força que nos impõe a separação é o fato de nunca ter existido a unidade, mesmo depois de casados continuaram sendo dois em tudo, cada um focado em seu próprio mundo; quanto à ordenança de Deus para o matrimônio é que na benção Dele reside o poder que funde dois corações em uma só existência justamente por serem diferentes, a unidade é real através de partes distintas, não existe unidade na igualdade.

O pecado do divórcio é a desobediência ao primeiro mandamento para o casamento: E os dois serão uma só pessoa... Gênesis 2.24, a separação revela que nunca houve de fato a união, uma vida, a fusão de dois corações que formou um, houve apenas um contrato que será anulado.

É fácil ter um casamento de sucesso: Ame seu cônjuge acima de todas as outras pessoas da sua vida, acima dos seus filhos, acima dos seus pais, acima dos seus amigos, acima de você mesmo... ao ponto de se vê nele, nisso se dá o que a palavra diz sobre ser uma só pessoa, uma só carne, um só corpo.

Casamento não é para quem deseja ser feliz, mas para quem quer fazer alguém feliz; nisto reside a felicidade de quem de fato ama.

O nível de união e intimidade que Deus nos propõe através do casamento, está acima de qualquer outro tipo de relacionamento. Nem com nossa mãe somos uma só carne.

Homem, empodere a opinião de sua esposa e usufruirás da verdadeira autoridade [...] que não é imposta, mas conquistada. Conceda a ela o direito de dizer-lhe que não és tudo que pensas ser, e seja humilde para reconhecer a necessidade de mudança e amadurecimento; só assim terás o usufruto da plenitude matrimonial.

Não consigo viver sem mim mesmo, eis o motivo pelo qual o casamento pela ótica de Deus não pode chegar ao divórcio [...], ou nunca experimentei a realidade de me tornar uma só pessoa com minha esposa.

O peso do divórcio não é ele em si mesmo, mas o fato de não ter amado de tal forma ao ponto de “tornarem-se um” [...], pois não se pode divorciar de si mesmo. O divórcio mostra que nunca existiram os dois que se tornaram um, mostra apenas os dois que continuaram centrados em si mesmos, e por isso nunca construíram um lar, uma unidade que revela o amor análogo entre Jesus e a Igreja.

A força de uma família não está em uma casa, está em um lar.

Anderson

Provérbios de um discípulo ::: 92


Quando não sabemos o que estamos esperando... qualquer coisa serve.

O Evangelho é de Graça, mas custa tudo... em primeiro lugar
"A vida daquele que o recebe"... 

A Graça não é um aval para a carne, é um meio para um fim: A plena obediência a Deus e a vida que nos foi concedida através do Cristo.

O usufruto da Graça é conformar-se à Deus e ao seu propósito.

A Graça nos concede o que não merecemos, mas pede tudo o que somos e temos.

A Graça para alguns é um meio simplista para obtermos "salvação" (...) sem esforço, obra, frutos, responsabilidades. A Graça de Deus revelada em Jesus é uma realidade que nos concede "vida", vida que comprova que somos salvos, vida pela qual expressamos de uma forma integral o caráter Daquele que nos salvou .

Salvação que não nos custa nada é apenas uma mentira para a alma, sofisma que tenta esconder-se em partes do Evangelho e não em sua totalidade.

A salvação por meio da Graça nos custa tudo, nos custa a própria vida, vida que se fez nova em Jesus e passa a ter um único objetivo: "Glorificar a Deus".

Se somos a mesma pessoa desde que conhecemos à Cristo, tem alguma coisa errada [...] Ou não o conhecemos, ou outra pessoa está se passando por Jesus, e a falta de relacionamento com o Pai faz com que acreditemos.

Alguns afirmam que Deus quer que sejamos sinceros... 
Se não for a sinceridade que reconhece quem somos (arrependimento), mas a sinceridade que nos mantém como somos (falsa humildade), estaremos sinceramente errados.

O que influencia não é a verdade que falamos, mas a vida devido à essa verdade.

O lar e a unidade do casal são os roteiros do "filme baseados em fatos reais" que será protagonizado por nossos filhos no futuro. Que nos preocupemos com quem somos... pois, o que eles forem amanhã dar-se-á pela influência de hoje, o que influencia não é a verdade que falamos, mas a vida devido à essa verdade.

O que não me transforma em um doador não é fruto do Evangelho de Jesus...

Sobre a Igreja ser um hospital... todos concordam...
Também precisamos entender que nenhum enfermo vai para o hospital porque deseja prolongar as enfermidades.

As fraquezas de um líder não faz com que ele perca autoridade...
as mentiras sobre sua força, sim...

O melhor ensino é o exemplo, o melhor exemplo é o amor...

O ministério da reconciliação não é para os aptos, é para os que amam ao Senhor... Antes de sermos reconhecidos para o ministério, precisamos ser reconhecidos como pessoas que vivem para a glória do Senhor... o evangelho é antes de tudo um caso de amor e temor, e por isso entramos em um processo que nos habilita a fazermos por outros o que foi feito por nós.

O amor não calcula, ele sabe que "perdeu" quando preza mais ao outro do que a si mesmo. Graças a Deus que no evangelho de Jesus bem aventurado é o que semeia...

Não tente me entender, saberás quem sou quando decidires me amar... sou mais que palavras, sou mais do que aparento ser...
não simplesmente para o lado bom, principalmente para o lado ruim, por isso preciso que você me conheça além das aparências e me reconstrua através do amor.

O conhecimento de Deus possui as marcas de Cristo [...]
Nosso conhecimento sobre Deus carrega medalhas, honrarias e orgulho, o conhecimento de Deus só pode ser concedido através do caráter de Jesus. O conhecimento de Deus é a ferramenta de transformação por meio do amor.

O conhecimento sobre Deus afastam pessoas, o conhecimento de Deus revela o amor que reconstrói.

O conhecimento de Deus possui as marcas de Cristo...

Quando o conhecimento não carrega os intuitos de Cristo, torna-se apenas uma arma de divisão ao invés de promover o amor.

A vida da Igreja quebra o poder de idolatria, homens descem de suas patentes e assumem os encargos de Cristo, na Igreja homens são apenas homens, falhos sendo aperfeiçoados como todos os outros; seus dons não concedem prerrogativas, mas a responsabilidade do serviço através de uma vida que expressa o amor. A vida da Igreja é ensinar ao mesmo que se permite ser ensinado...

Não existe unidade na igualdade; somos diferentes, e por isso somos um corpo. Sem as mesmas funções [...] porém, unidos...

Se um membro do corpo é o corpo todo [...] dá-se o nome de anomalia.

Não existe a opção do divórcio para quem não ama a si mesmo...

O nível de união e intimidade que Deus nos propõe através do casamento, está acima de qualquer outro tipo de relacionamento. Nem com nossa mãe somos uma só carne, se discordas case-se com sua mãe.

Afirmamos que o amor é só de mãe porque não entramos em uma relacionamento para amarmos de uma forma única, fiel e sacrificial, entramos com reservas, entramos pensando no dia que sairemos desse barco quando nossos interesses não forem satisfeitos.

Se você não está pronto para amar seu cônjuge acima de todas as outras pessoas da sua vida, não é de se espantar nunca teres provado o que de fato significa um matrimônio e também deixa claro a razão de um divórcio.

Casamento não é para quem encontra a pessoa certa, mas para quem é a pessoa certa através da construção realizada em Cristo... Casamento não é uma questão de vontade ou necessidade, é assumir responsabilidades, é está em processo intencional de amadurecimento, é entender que a partir do matrimônio duas pessoas formam um só destino.

Só existe divórcio quando existe desobediência ao mandamento que levam dois a tornarem-se um através do amor que não se fundamenta nos próprios interesses.

O divórcio só é uma realidade onde existem dois indivíduos que habitam no mesmo lugar, mas que possuem corações divergidos. A força que nos impõe a separação é o fato de nunca ter existido a unidade, mesmo depois de casados continuaram sendo dois em tudo, cada um focado em seu próprio mundo; quanto à ordenança de Deus para o matrimônio é que na benção Dele reside o poder que funde dois corações em uma só existência justamente por serem diferentes, a unidade é real através de partes distintas, não existe unidade na igualdade.

O pecado do divórcio é a desobediência ao primeiro mandamento para o casamento: E os dois serão uma só pessoa... Gênesis 2.24, a separação revela que nunca houve de fato a união, uma vida, a fusão de dois corações que formou um, houve apenas um contrato que será anulado.

É fácil ter um casamento de sucesso: Ame seu cônjuge acima de todas as outras pessoas da sua vida, acima dos seus filhos, acima dos seus pais, acima dos seus amigos, acima de você mesmo... ao ponto de se vê nele, nisso se dá o que a palavra diz sobre ser uma só pessoa, uma só carne, um só corpo.

Casamento não é para quem deseja ser feliz, mas para quem quer fazer alguém feliz; nisto reside a felicidade de quem de fato ama.

O nível de união e intimidade que Deus nos propõe através do casamento, está acima de qualquer outro tipo de relacionamento. Nem com nossa mãe somos uma só carne.

As comunidades de fé seriam diferentes, vibrantes e santificadas se entendêssemos que tudo aquilo que somos, pensamos e praticamos na vida faz parte da construção da Igreja, o que somos é o que permitimos que o outro veja de Deus... será algo espetacular o mundo não querer a Deus?!... podemos está sendo acesso ou exclusão.

Anderson

Casamento não é para quem encontra a pessoa certa ::: Anderson Silva

Casamento não é para quem encontra a pessoa certa, mas para quem é a pessoa certa através da construção realizada em Cristo... Casamento não é uma questão de vontade ou necessidade, é assumir responsabilidades, é está em processo intencional de amadurecimento, é entender que a partir do matrimônio duas pessoas formam um só destino. Anderson


Reflexões sobre namoro ::: Anderson Silva


Se a médio prazo não temos a direção, a capacidade espiritual, emocional e material de estabelecermos uma união estável, o namoro é a mais sútil estratégia do maligno para nos paralisar. O que supostamente preenche às nossas expectativas emocionais nunca será enviado em saco de pão, sempre nos saltará aos olhos, despertando assim nossa fome; Falo para os que receberam os encargos de Cristo, não falo para os frequentadores de cultos, falo para os discípulos de Jesus.


O tempo gera a intimidade que é natural entre um homem e uma mulher, não saber o que estamos fazendo em um "namoro" é suicidar-se emocionalmente ao mesmo tempo que mato o outro.

Quando não sabemos o que estamos esperando... qualquer coisa serve.


Não existe zona neutra em uma relacionamento entre homem e mulher, quando os sexos opostos se unem podemos dar o nome que for para esse relacionamento, a realidade estabelecida por Deus torna-se real (Uma só carne, um só corpo, uma só pessoa). Por mais que exista um relacionamento informal e superficial entre um homem e uma mulher, as bases da vida serão afetadas. Onde houver um homem e uma mulher em relacionamento, haverá uma só carne... Por isso, o namoro como despretensão perde importância e passamos a enxergar o assunto com mais temor e senso de responsabilidade. {Gn 2,24}.

O pecado que é gerado em boa parte dos namoros não é o sexo em si, pois o mesmo é uma dádiva divina... o problema do namoro é que ele não existe fora do casamento, da responsabilidade mútua.

O problema do namoro é o uso do "lícito" fora de uma realidade "lícita". A palavra namoro vem do latim FARELAMORE "Fazer amor"

Estaremos prontos para um relacionamento conjugal quando tivermos pleno entendimento e responsabilidade em vivermos com Jesus nosso Noivo.

Na moral: pênis e vagina você pode encontrar dos mais variados tamanhos e preços (...) mas, sempre irás amargar a dor de não conhecer o valor das raízes, do amor, da fidelidade, da família. Que não sejamos mais um no meio da geração descartável, do prazer momentâneo... que nossos filhos possam aprender através de nós o que de fato significa viver.

O padrão de escolha de um discípulo de Jesus precisa ser totalmente diferente do padrão de um frequentador de cultos. Enquanto o primeiro se move nos extremos de conformidade com as aparências das coisas e a necessidade própria, o discípulo de Jesus vive de acordo com tudo aquilo que é essencial.

Jesus é o padrão para com todas as nossas escolhas... todas.

Em minha opinião relacionar-se não é esperar a pessoa certa, é esperar por si mesmo, esperar pelo tempo que serei maduro para assumir a responsabilidade de amar o outro mais do que a mim mesmo, constrangê-lo através do amor e levá-lo aos pés da cruz.

Não importa quem é o outro, importa quem eu sou.


Anderson

É de Graça, mas custa tudo... - Anderson Silva


- A Graça nos concede o que não merecemos, mas pede tudo o que somos e temos.

A Graça de Deus não nos mantém como somos... Ela não tem por objetivo conservar, mas transformar. Ela não diz: Te aceito como és, ela diz: Te transformarei em quem verdadeiramente precisas ser.

A Graça para alguns é um meio simplista para obtermos "salvação" (...) sem esforço, obra, f
rutos, responsabilidades. A Graça de Deus revelada em Jesus é uma realidade que nos concede "vida", vida que comprova que somos salvos, vida pela qual expressamos de uma forma integral o caráter Daquele que nos salvou .

Salvação que não nos custa nada é apenas uma mentira para a alma, sofisma que tenta esconder-se em partes do Evangelho e não em sua totalidade.

A salvação por meio da Graça nos custa tudo, nos custa a própria vida, vida que se fez nova em Jesus e passa a ter um único objetivo: "Glorificar a Deus".

Onde existe intencionalmente carnalidade, libertinagem, desobediência, mundanismo e desinteresse pela a eternidade, pelo retorno do Senhor, existe a distorção da Graça em benefício próprio, ela se torna a autorização para as nossas próprias escolhas.

O usufruto da Graça é conformar-se à Deus e ao seu propósito.

A Graça não é um aval para a carne, é um meio para um fim:
A plena obediência a Deus e a vida que nos foi concedida através do Cristo.

Anderson

Provérbios de um discípulo ::: 91


Não confunda caridade com fidelidade, A caridade é apenas um ato, a fidelidade é um estilo de vida. O povo brasileiro possui uma grande capacidade para ser fraterno e caridoso em momentos de calamidade; pena que muitos pensam que estão realizando a missão de suas vidas em um ato isolado. Muitos não querem adotar um estilo de vida, estabelecer raízes, valores e fundamentos... a corrupção não pertence apenas as esferas de autoridade, boa parte do povo é construído no mesmo DNA. 

Nossas habilidades nos iludem... antes de nossas ações, precisamos reconhecer motivos e fundamentos.

Não se mova por meio das possibilidades, cumpra princípios.

Fraqueza é uma coisa, leviandade é outra bem diferente. A carne de fato é fraca, mas o pecado nunca será vitamina ou energético.

Na moral: pênis e vagina você pode encontrar dos mais variados tamanhos e preços (...) mas, sempre irás amargar a dor de não conhecer o valor das raízes, do amor, da fidelidade, da família. Que não sejamos mais um no meio da geração descartável, do prazer momentâneo... que nossos filhos possam aprender através de nós o que de fato significa viver.

Deus tem um plano. Não queira ajudá-lo, apenas corresponda, reaja.

Que os homens nos encontrem culpados em muitos crimes, mas que eles não possam ter contra nós a acusação de que não amamos ao Senhor Jesus. Ele é nossa única garantia de esperança e mudança, Ele não é tudo que precisamos, Ele é tudo que temos.

Quem não aprendeu a perdoar não saberá de fato, viver...

O perdão destrava corações, derruba paredes na alma, libera destinos, devolve sorrisos e cânticos...

Quando não amamos as pessoas como elas são, não possuímos autoridade no processo de transformação sobre quem elas precisam ser... Fica claro que amamos o ideal e não o real, o esteriótipo e não a pessoa.

Somos depositários das bençãos de Deus... Tudo o que somos, tudo o que temos, foram-nos dados como depósito; não somos donos, somos apenas mordomos. (...), Por isso, prestaremos contas.

Aquele que não se permite ser resposta de uma oração não terá suas orações respondidas... O ensino do Mestre sobre oração começa com a seguinte afirmação: "Pai nosso", e não "meu pai". Tudo aquilo que é individual/egocêntrico não é Reino de Deus.

Com a mesma atitude na qual oramos... temos que nos permitir ser o meio pelo qual Deus responde a oração de outros.
Deus sempre responde às orações, o grande problema na minha limitada compreensão é a falta de membros conectados ao mentor e olhos do organismo chamado Igreja.
Através da intima devoção, dependência, temor e quebrantamento é construído um corpo, governado pela vontade do Pai, tendo em Jesus a autoridade e a direção, só assim nos tornamos respostas as orações e ao clamor dos que perecem.

O maligno não envia presentes em saco de pão, os presentes são terríveis, mas sempre são envoltos nas melhores embalagens.

A missão da Igreja não pertence a departamentos e atividades esporádicas, a missão pertence a "vida" que recebemos...
uma vida não precisa de roteiros para se revelar, vida é o que somos em qualquer lugar. Com isso não digo que não precisamos de organização, afirmo que ela pode funcionar como maquiagem para com a morte espiritual, pois em muitos casos aquilo que se faz busca esconder a falta de identidade, o que de fato é proposto e revelado na vida cotidiana.

O padrão de escolha de um discípulo de Jesus precisa ser totalmente diferente do padrão de um frequentador de cultos. Enquanto o primeiro se move nos extremos de conformidade com as aparências das coisas e a necessidade própria, o discípulo de Jesus vive de acordo com tudo aquilo que é essencial.

Jesus é o padrão para com todas as nossas escolhas... todas.

O frequentador de cultos entrega para Deus as resoluções dos problemas, o discípulo entregou toda vida à Ele, e sabe que sem Jesus nada podemos fazer.

Em minha opinião relacionar-se não é esperar a pessoa certa, é esperar por si mesmo, esperar pelo tempo que serei maduro para assumir a responsabilidade de amar o outro mais do que a mim mesmo, constrangê-lo através do amor e levá-lo aos pés da cruz.

Não importa quem é o outro, importa quem eu sou.

Quando existe uma "vida" em nós, o que importa não são os "erros de um mundo caído", mas o poder da vida que carregamos, ela é a ferramenta de mudança. João 3.17

Anderson

::: NAMORO - Está em Jesus é ter um padrão... uma firmeza no espírito.


- Pergunta

Pastor, como saber qual o tempo certo para namorar, e como saber qual a pessoa certa?

- Resposta

Não acredito em namoro.

Acredito que o tempo certo para entrarmos em um relacionamento é quando já usufruímos de um relacionamento firme, constante e intimo com o Senhor Jesus (...) pois só assim discerniremos o tempo e o modo, teremos a capacidade de entender o que não se vê - relacionamentos são uma arte, precisamos ir além das aparências (os que parecem que são, podem não ser, e os que parecem que não são, podem ser). Estando em unidade com Jesus, teremos um padrão para discernir e fazer escolhas de acordo com a paz que excede o entendimento natural.

- Como podemos saber quem é a pessoa certa?

Ninguém sabe... mas, se formos firmes na caminhada com Jesus, estaremos seguros nestes momentos. Não iremos decidir de uma forma emotiva; vivendo com Ele teremos os sentidos aguçados, nossos valores exaltados, nossa satisfação estará Nele... portanto, não aceitaremos um relacionamento que esteja aquém do relacionamento já existente. Está em Jesus estabelece padrões em nós, esperamos de acordo com esses padrões... abertos a entender que as vezes as coisas certas estão em embalagens erradas.

Ninguém pode afirmar quem não é, mas quem pode afirmar quem é?

A vontade de Deus é o padrão. Não digo vontade para o relacionamento, falo de vontade para com o propósito macro de Deus do qual fazemos parte, e nossas escolhas podem ser tropeços a esse propósito.

Ninguém tem o poder de afirmar que alguém não é de Deus para nós, e muito menos afirmar quem é de Deus para nós, apenas a estreita unidade entre o Mestre e o discípulo dará esse poder através da Palavra e da devoção (...) não falo para pessoas levianas, falo para os discípulos de fato, não falo para os que gostam de brechas nas escrituras para afirmar suas escolhas e comportamento, falo para os que amam e temem ao Senhor, e por isso vivem unicamente para glorificá-Lo.

Se não existe um relacionamento entre você e Jesus, não terás capacidade para lidar com as trivialidades da vida, muito menos terás o poder de discernir e fazer escolhas que definirão seu destino. Antes de tudo esteja com Jesus, assim estarás segura.

Esperar?!

Aquilo que não seja complemento entre a unidade que tenho com Jesus é totalmente descartável, espero em conformidade com a vontade Dele...

Quando estamos com Jesus não nos relacionamos por carências e vontade, assumimos responsabilidades de fazê-lo conhecido também através dos relacionamentos. Relacionar-se é uma armadilha para quem espera ser feliz, relacionamentos são plenos para quem através de Jesus recebe o poder de fazer o outro viver através do amor, em Cristo ser feliz é fazer feliz... não existem conveniências, existem responsabilidades... Deste modo, o tempo certo para está em um relacionamento matrimonial é o tempo de nossa maturidade para lidar com essa realidade.

Quando não sabemos o que estamos esperando... qualquer coisa serve, quando estamos com Jesus sabemos o que estamos esperando.

Anderson

Sermão de Domingo - Devemos temer e tremer diante da responsabilidade da "Mordomia Cristã"

::: Sermão de Domingo - Devemos temer e tremer diante da responsabilidade da "Mordomia Cristã".

A um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um; a cada um de acordo com a sua capacidade. Em seguida partiu de viagem. Mateus 25:15



O namoro é uma ilusão de ótica ::: Anderson Silva


- Como podes concordar que é o namoro é uma ilusão de ótica se estás namorando?!...
- Como irás consentir que o sexo sem compromisso sugerido em muitos namoros não é somente um dano espiritual, mas também emocional e social, se estás na prática do comportamento?!...
- Sem dúvida mudaremos de opinião quando os anos passarem, e sentirmos em nosso corpo e coraç
ão os efeitos das dores emocionais sofridas, quando os fantasmas (pessoas) que passaram por nossa vida não forem embora.
- O ceticismo para com os relacionamentos duradouros não é um fator do acaso, as pessoas não despejam suas feridas pela privada, eles expressam através da vida social, a leviandade relacional entre homem e mulher levam a sociedade ao fracasso e descrédito ao que de fato é um relacionamento a dois.

A aptidão para um relacionamento se dá através do pleno relacionameto com Jesus.
Namorar é perder tempo, vigor e foco. Não precisamos conhecer o outro, precisamos conhecer "Quem" conhece todos.

No momento certo o que é real surgirá... o namoro é apenas uma miragem para quem está andando pelo "deserto existencial sem raízes "por não ter achado plena satisfação em Jesus.

O namoro é uma ilusão de ótica que nos priva de enxergarmos a plenitude...

Anderson